Prefeitura na luta contra a ocupação ilegal

Força-tarefa vai começar a agir na Ilha Grande

Quinta-Feira, 10/05/2018 | Superintendência de Comunicação .

Uma força-tarefa formada por diversas secretarias do Governo Municipal está sendo criada para combater o desordenamento na Ilha Grande, que vem crescendo a cada dia. As ações a serem colocadas em prática foram discutidas durante uma reunião ocorrida hoje (10), no Salão Nobre da Prefeitura.
- O poder público não pode permitir esse tipo de irregularidade dentro do município. Isso tudo acaba fomentando outras ilegalidades e quem sofre é o ilhéu. O nosso objetivo é controlar esse tipo de desordem, promovendo ações mais duras de fiscalização – destacou o secretário executivo de Meio Ambiente.
Além da ocupação irregular de áreas de preservação permanente, a força-tarefa tem como alvos as atividades comerciais e o turismo ilegais.
Para as ações terem êxito, a força-tarefa prefere não revelar as intervenções que serão feitas, mas ressalta que o objetivo é realizar uma operação completa em alguma praia da Ilha Grande, antes do feriado de Corpus Christi, no final deste mês.
- A Ilha Grande tem várias unidades de conservação que devem ser protegidas. Existe lá a Área de Proteção Ambiental de Tamoios, o Parque Estadual da Ilha Grande, a Reserva Biológica da Praia do Sul, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável da Praia do Aventureiro e o Parque Marinho do Aventureiro – informou o secretário.
O secretário de Meio Ambiente ressaltou ainda que no continente já estão sendo realizadas ações contra o parcelamento clandestino e ocupações em áreas de risco, áreas públicas e de preservação permanente. O resultado dessas atividades está sendo considerado positivo, uma vez que houve aumento na procura por informações na secretaria.
- A gente sempre pede que as pessoas, antes de comprarem terrenos ou casas, procurem a secretaria de Meio Ambiente. No momento em que ela for, terá todas as informações a respeito da área pela qual está interessada. A pessoa evita o prejuízo de estar comprando uma área onde não pode ter construção. Às vezes, o cidadão compra a área, começa a construir, a fiscalização chega, identifica a irregularidade e vem a demolição, que é uma ação de cumprimento de legislação. A pessoa fica então com o prejuízo que poderia ter evitado – explicou o secretário.
A Secretaria Executiva de Meio Ambiente fica localizada na Rua do Comércio, nº 17, no Centro. Os interessados em tirar dúvidas ou informar sobre construções irregulares podem ligar para os telefones (24) 33686418/ (24) 33686340/ (24) 33686496.