Hospitais de Campanha já estão em funcionamento

Duas unidades foram instaladas como parte da programação do Exercício Geral em caso de acidentes nucleares

Segunda-Feira, 28/10/2019 | Superintendência de Comunicação .

Uma frota de caminhões, ônibus e outros tipos de veículos da Marinha e do Exército chamou a atenção dos moradores de Angra dos Reis. É que esses veículos estavam transportando equipamentos para a implantação de dois hospitais de campanha na cidade, que, em parceria com a prefeitura, estará funcionando 24 por dia de hoje até quinta-feira (31), às 18h, no Balneário; e até 17h, no Parque Mambucaba, oferecendo pronto atendimento médico em uma situação de emergência, além de demandas das unidades de saúde do 4º Distrito e reguladas pela central de agendamento da Secretaria de Saúde. A ação faz parte da programação do Exercício Geral de Resposta à Emergência Nuclear na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), onde estão localizadas as usinas nucleares Angra 1 e Angra 2, operadas pela Eletronuclear, que acontece nos dias 30 e 31 próximos.

O Hospital de Campanha do Exército está instalado no Estádio Municipal e nesta unidade serão oferecidos os seguintes serviços: 80 vagas de psiquiatria para pacientes regulados pela central de agendamento da Secretaria de Saúde; 120 vagas de cardiologia, também pacientes regulados; 450 vagas para clínico geral, para os pacientes agendados pelas EFSs que estão sem médicos; 120 de urologia, para quem foi agendado pela regulação; 80 para gineologista, para as demandas das ESFs do 4º Distrito; 160 vagas de odontologia, para as demandas do 4º Distrito destinadas pela saúde bucal. Também serão oferecidos exames de ulrassonografia e ecocardiogramas para as demandas geradas pelos profissionais do próprio hospital de campanha.
O Hospital de Campanha da Marinha está instalado no Parque Mambucaba. Neste, serão oferecidas 20 vagas por dia para clínico geral e 16 vagas diárias de pediatria, para as demandas geradas pelas ESFs dos 1º, 2º e 3º Distritos. 64 vagas para dermatologia e 64 de cardiologia serão destinadas para a demanda reprimida da Secretaria de Saúde. Além disso, serão oferecidos 14 exames diários de USG de vias urinárias, no total de 64 exames, também para a demanda reprimida do setor nos cinco distritos e 120 vagas de odontologia

O objetivo da operação, que envolve entidades civis e militares, além de parte da população da região de Angra dos Reis, é avaliar a eficácia dos Planos de Emergência, identificar pontos vulneráveis e aperfeiçoar os procedimentos de atendimento a situações de emergência.
Durante a realização do exercício estão previstas, em caráter voluntariado, ações de remoção de parcela dos residentes do entorno da Central Nuclear. As sirenes do Plano de Emergência Externo do Rio de Janeiro, localizadas nessas áreas, serão acionadas. As Forças Armadas e organizações federais, estaduais e municipais mobilizarão aeronaves, embarcações e veículos terrestres. Integrantes de órgão de segurança pública organizarão o deslocamento de automóveis e pedestres. Nesse contexto, cabe à Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen) a avaliação das condições de segurança das usinas e dos seus respectivos trabalhadores, da população e do meio ambiente e, dessa forma, recomendar as devidas medidas de proteção.

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, órgão central do Sistema de Proteção ao Programa Nuclear Brasileiro (Sipron), é o responsável pela supervisão do Exercício de Emergência Nuclear em Angra dos Reis. O planejamento das ações foi realizado pelo Comitê de Planejamento de Resposta a Situações de Emergência Nuclear no Município de Angra dos Reis (Copren/AR), órgão colegiado que tem a finalidade de planejar ações de resposta a situações de emergência nuclear na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto.

O comitê reúne representantes do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, que o coordena; Ministério da Defesa; Ministério da Saúde; Ministério do Desenvolvimento Regional, por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil; Superintendência Estadual do Rio de Janeiro da Agência Brasileira de Inteligência do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República; Comissão Nacional de Energia Nuclear; Eletrobras Termonuclear S.A - Eletronuclear; Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis; Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Corpo de Bombeiros Militar, da Secretaria de Estado de Defesa Civil e do Instituto Estadual do Ambiente; Secretaria Especial de Proteção e Defesa Civil da Prefeitura de Angra dos Reis; e Coordenadoria Municipal de Defesa Civil da Prefeitura Municipal de Paraty.


EXERCÍCIOS DE RESPOSTA À EMERGÊNCIA NUCLEAR

Desde 1996 são realizados Exercícios de Resposta a Emergência Nuclear na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA). Em anos ímpares, ocorrem os exercícios gerais, que treinam a estrutura de forma completa. Em anos pares, ocorrem os exercícios parciais, focados nos pontos onde são indentificadas maiores necessidades de treinamento e aperfeiçoamento.

Estas atividades contam com a participação de peritos e observadores nacionais. Essa troca de experiências resulta na constante revisão da legislação afeita às atividades nucleares no país e tem permitido um aperfeiçoamento contínuo dos respectivos planos de emergência, evidenciando o alto grau de comprometimento do setor nuclear com a segurança do Programa Nuclear Brasileiro.