Mais um Plano de Emergência colocado em prática

Autoridades municipais, estaduais e federais, e moradores de Angra participaram de ações que simularam problemas nas usinas nucleares do município

Quinta-Feira, 31/10/2019 | Superintendência de Comunicação .

Terminou hoje (31), ao meio-dia, o Exercício Geral de Resposta à Emergência Nuclear na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), onde estão localizadas as usinas nucleares Angra 1 e Angra 2, operadas pela Eletronuclear. O objetivo da operação, que envolveu entidades civis e militares, além de parte da população da região de Angra dos Reis, foi avaliar a eficácia dos Planos de Emergência, identificar pontos vulneráveis e aperfeiçoar os procedimentos de atendimento a situações de emergência.
Na ocasião, o grupo inaugurou a unidade do Centro de Controle de Emergência Nuclear (CCCEN), em uma sala no 3º andar do Shopping Piratas. O prefeito Fernando Jordão e seu vice-prefeito, Manoel Parente, estiveram no CCCEN para conhecer e acompanhar o desenvolvimento do Plano. O CCCEN tem a missão de coordenar a execução das ações que lhe são atribuídas no Plano de Emergência Externo (PEE); coordenar o apoio dos diversos órgãos, sediados no município, com responsabilidade na resposta a uma situação de emergência nuclear; solicitar apoio aos órgãos municipais, estaduais e federais, sediados em sua área de influência, para implementar as ações necessárias e complementar os meios utilizados na resposta a uma situação de emergência nuclear; e manter o Centro de Informações de Emergência Nuclear – CIEN informado sobre a evolução da situação de emergência nuclear.
O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, órgão central do Sistema de Proteção ao Programa Nuclear Brasileiro (Sipron), é o responsável pela supervisão do Exercício de Emergência Nuclear em Angra dos Reis. O planejamento das ações foi realizado pelo Comitê de Planejamento de Resposta a Situações de Emergência Nuclear no Município de Angra dos Reis (Copren/AR), órgão colegiado que tem a finalidade de planejar ações de resposta a situações de emergência nuclear na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto.
O comitê reúne representantes do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, que o coordena; Ministério da Defesa; Ministério da Saúde; Ministério do Desenvolvimento Regional, por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil; Superintendência Estadual do Rio de Janeiro da Agência Brasileira de Inteligência do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República; Comissão Nacional de Energia Nuclear; Eletrobras Termonuclear S.A - Eletronuclear; Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis; Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Corpo de Bombeiros Militar, da Secretaria de Estado de Defesa Civil e do Instituto Estadual do Ambiente; Secretaria Especial de Proteção e Defesa Civil da Prefeitura de Angra dos Reis; e Coordenadoria Municipal de Defesa Civil da Prefeitura Municipal de Paraty.
Uma das primeiras ações do PEE foi a montagem de um gabinete de emergência municipal, na Defesa Civil de Angra, com representação das secretarias envolvidas na execução do PE, que são a de Defesa Civil, de Governo e Relações Institucionais, Administração, Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, Educação, Saúde, Serviço Público, Segurança Pública, Superintendência de Trânsito e o Serviço Autônomo de Captação de Água e Tratamento de Esgoto (Saae). A estrutura foi montada logo após a declaração da equipe da Eletronuclear de situação de alerta na usina Angra 2, iniciando assim o PE. Diversas situações foram apresentadas, sempre simulando possíveis incidentes tais como queda de barreira na rodovia BR-101, no trecho próximo ao complexo nuclear; desmentir fake news; falhas técnicas; evolução da situação de alerta para todo o complexo e para emergência geral; interrupção do fornecimento de energia elétrica na área externa das usinas; evacuação de moradores; disparo das sirenes de alerta; entre outras ações. Além do Gabinete de Emergência do Município, as autoridades que fazem parte do Comitê ficaram na recém inaugurada sede do CCCEN, no shopping Piratas.
Enquanto o exercício simulado acontecia em diversas áreas do município, principalmente nas comunidades residentes nas áreas em torno das usinas, as chamadas Zonas de Planejamento de Emergência – ZPEs, dois hospitais de campanha instalados na cidade (um no Centro e outro no Parque Mambucaba) realizavam atendimentos médicos em diversas especialidades, além de exames laboratoriais como ultrassonografia, ecocardiogramas, entre outros, contribuindo para diminuir consideravelmente a demanda acumulada da rede pública de saúde. O exercício simulado contou com a participação voluntária de cerca de 40 moradores de Angra dos Reis.
EXERCÍCIOS DE RESPOSTA À EMERGÊNCIA NUCLEAR

Desde 1996 são realizados Exercícios de Resposta a Emergência Nuclear na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA). Em anos ímpares, ocorrem os exercícios gerais, que treinam a estrutura de forma completa. Em anos pares, ocorrem os exercícios parciais, focados nos pontos onde são identificadas maiores necessidades de treinamento e aperfeiçoamento.

Estas atividades contam com a participação de peritos e observadores nacionais. Essa troca de experiências resulta na constante revisão da legislação afeita às atividades nucleares no país e têm permitido um aperfeiçoamento contínuo dos respectivos planos de emergência, evidenciando o alto grau de comprometimento do setor nuclear com a segurança do Programa Nuclear Brasileiro.