Prefeitura de Angra quer continuidade de ações policiais

Decisão do STF proíbe operações em comunidades de todo o estado do Rio durante a pandemia

Quarta-Feira, 10/06/2020 | Superintendência de Comunicação .

A Prefeitura de Angra interveio, hoje (10), na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 635, com o objetivo de manter a continuidade das operações policiais na cidade. Uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu todas as operações em comunidades de todo o estado do Rio de Janeiro, durante o período da pandemia do coronavírus.
A decisão do STF foi resultado de uma ação manejada pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) contra o Governo do Estado do Rio de Janeiro. De acordo com o ministro Edson Fachin, as operações só devem ocorrer em “hipóteses absolutamente excepcionais”.
A prefeitura de Angra decidiu aderir ao processo devido ao receio de um aumento na criminalidade. Na ação, o município demonstra que as operações na cidade trouxeram uma redução nos crimes, o que melhorou incrivelmente a segurança dos moradores.
De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública, em Angra dos Reis, comparando os quatro primeiros meses de 2019 com o mesmo período de 2020, houve uma redução de 61% nas tentativas de homicídios, de 74 passou para 13. Roubo de rua caiu 59%, de 106 para 47. Outro indicador da queda da criminalidade foi em relação aos roubos de veículos. De janeiro a abril de 2019 foram 57 e no mesmo período deste ano reduziu para 12.
Angra dos Reis foi um dos municípios mais afetados pela crise de segurança pública que viveu o Estado do Rio de Janeiro e que culminou com a intervenção federal na segurança pública.