Angra alcança bons níveis de vacinação contra a Febre Aftosa

Na primeira etapa da ação, o município alcançou um índice vacinal de 96,19%, ficando entre as 17 cidades do estado com porcentagens superiores a 90%

Sexta-Feira, 10/07/2020 | Superintendência de Comunicação .

Com o objetivo de manter os bovinos imunizados contra a Febre Aftosa, a primeira etapa da vacinação contra a doença no município foi finalizada de forma exemplar, oferecendo um índice de vacinação de 96, 19%.

A ação, que ocorreu durante a pandemia COVID – 19, seguiu as orientações do Ministério da Saúde e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, evitando as aglomerações, promovendo o uso de máscaras (funcionários da secretaria e produtores), uso do álcool em gel 70% e envio das declarações por meios eletrônicos.

Durante todo o mês de maio e também na primeira quinzena de junho, a Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria Executiva de Agricultura, Aquicultura e Pesca – Superintendência de Agricultura –, realizou um trabalho junto aos produtores pecuaristas do município, divulgando a primeira etapa de vacinação, orientando a formação do grupo de compras para aquisição das vacinas e o intercâmbio entre produtores e lojas agropecuárias, assim como a vinda e distribuição das vacinas e orientações sobre a vacinação.

O objetivo da vacinação foi manter os animais imunizados contra a Aftosa, seguindo o Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa e também cuidando para que o índice vacinal não diminua, uma vez que o Estado do Rio de Janeiro está prestes a se tornar uma área livre de Aftosa e sem vacinação. Também é importante ressaltar que a incidência e prevalência da Aftosa no Brasil resulta na exclusão da exportação de carne e derivados produzidos no país, gerando grande perda econômica.

Durante a ação também foram feitas orientações para que os produtores realizassem a compra e vacinação antirrábica junto com a vacinação contra a Aftosa, em bovinos a partir de 2 meses de idade.

O secretário municipal de Agricultura, Aquicultura e Pesca falou sobre os bons resultados, justificando-os por meio da conscientização referente à importância da iniciativa.

– Foi um trabalho sistemático de conscientização junto aos produtores pecuaristas, nas áreas rurais do município, realizado por nossos técnicos, juntamente com o apoio da Defesa Civil Municipal e do escritório local EMATER-RIO – conclui o secretário.