Prefeitura de Angra auxilia Aldeia Sapukai contra a Covid-19

Município realiza todas as ações em saúde necessárias, respeitando a realidade cultural local

Terça-Feira, 21/07/2020 | Superintendência de Comunicação .

Desde o início da pandemia provocada pela Covid-19, a Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria de Saúde, acompanha e auxilia a Aldeia Sapukai contra o novo coronavírus, realizando todas as ações em saúde necessárias, com estratégias específicas, respeitando a realidade cultural local. Inclusive, uma ambulância com tração 4x4 foi disponibilizada para atender exclusivamente a aldeia.

- Muito antes da pandemia, a Secretaria de Saúde, em parceria com a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), vem realizando um trabalho muito próximo da comunidade com orientações, tratamentos e um módulo de saúde dentro da própria aldeia, onde acompanhamos os adultos e também o desenvolvimento dos indígenas, com nutricionista, psicólogo, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem – destaca o secretário de Saúde.

A comunidade, com população de 340 indígenas, registrou hoje (21) seu primeiro óbito: o cacique Domingos Venite, 68 anos, que desde o dia 23 de junho estava internado no Centro de Referência Covid-19, onde recebeu todos os cuidados necessários. Com base nas normas da Anvisa para a pandemia de Covid-19, a Secretaria de Saúde orientou a Aldeia Sapukai a não realizar velório/ritual de falecimento. O corpo do cacique será sepultado no cemitério da aldeia, respeitando as normas técnicas estabelecidas para o procedimento.

- Em nome da população de Angra dos Reis gostaria de manifestar meus sentimentos pela perda do cacique Domingos, uma pessoa que eu admirava muito. Nossa cidade está de luto, estamos todos muito tristes pois perdemos uma referência – lamenta o prefeito.

Emocionada, a secretária de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, também fez questão de falar sobre o momento de luto.

- Nós sempre fizemos questão de manter os nossos serviços na aldeia ao longo de todos os meses do ano, além de realizar atividades como o Gol Social, que as crianças de lá tanto amam. Eu tinha um carinho muito profundo pelo cacique Domingos, um contato que começou lá atrás por meio do cacique João. O cacique Domingos era um homem muito gentil e eu sinto muito. Nosso abraço fraterno a toda à comunidade da Aldeia Sapukai – frisa a secretária.

Segundo a Vigilância Epidemiológica, há atualmente 85 casos positivos da doença na aldeia e, destes, 84 já estão recuperados, 15 suspeitos e não há internações.

- Desde o início, optamos por fazer a profilaxia nos pacientes suspeitos, agendando os testes rápidos para o 10º dia e, se necessário, repetindo a testagem no 14º. A partir de um paciente suspeito, nós buscamos as pessoas com comorbidades do mesmo japiguá (núcleo familiar) e iniciamos a profilaxia. Todos os pacientes foram monitorados e, uma vez o teste dando positivo, toda a unidade familiar foi medicada– explica a médica responsável pela aldeia.

Além disso, o Departamento de Saúde Coletiva, via Programa Especial de Saúde Indígena e Vigilância Epidemiológica, junto aos profissionais que atuam na unidade de saúde localizada dentro da comunidade, realizam um trabalho constante de prevenção, com doações de máscaras; orientação; visita domiciliar; busca ativa; isolamento e todo o tratamento médico necessário, dando o suporte à população indígena.

Além disso, o Centro de Referência Covid-19 montou uma enfermaria específica para os índios, onde eles puderam manter contato com a sua cultura, incluindo a pajelança, que é um ritual de cura realizado pela comunidade, por meio do projeto de videochamadas Conexão Família.