Casa do Artesão

A atividade artesanal em Angra dos Reis tem como potencial e principal consumidor os turistas que vem de diversas partes do Brasil e do mundo, motivados pelas características geográficas e belezas naturais de nosso Município, que une elementos da Serra e do Mar em um único território, além de possuir uma baía recheada de ilhas e opções para visitação.

Considerando todo o território de Angra dos Reis, inclusive a Ilha Grande, estima-se que cerca de 2.000 (dois mil) trabalhadores, formais e informais, exercem a atividade artesanal, fazendo-se necessário a criação e organização de núcleos qualificados para a gestão profissional centralizada, com meios de formação, aprimoramento, desenvolvimento artístico e intelectual de seus integrantes.

Investimentos dessa natureza tem influência relevante no orçamento do Município, pois impulsiona o desenvolvimento de atividades produtivas fundamentais a manutenção do nível de emprego, geração de renda e melhoria da qualidade de vida dos participantes com canais de comercialização para consumidores locais e visitantes.

A Casa do Artesão visa uma melhoria geral da condição econômica dos profissionais da área, uma vez que proporcionará maior visibilidade do espaço criado e seu consequente reflexo na venda dos produtos, a legalidade do trabalho, com o pagamento de contribuições previdenciárias gerando direito a múltiplos benefícios.

Objetivo Geral

  • Construção de Prédio Público do artesão em 4 módulos;
  • Revitalização da Alameda entre as Ruas Coronel Carvalho e Dona Antônia de Vilhena;
  • Reunir as diversas associações e organizações do artesanato de nosso município;
  • Integração e desenvolvimento de técnicas de criação e produção de artes;
  • Aquisição de ferramentas e equipamentos necessários para seu funcionamento, criando assim um espaço exclusivo para os artesãos de Angra dos Reis.

Objetivo Específico

  • Reunir na Casa do Artesão quatro módulos providos de acessibilidade, sendo o primeiro módulo destinado à recepção, exposições, copa e sanitários; o segundo módulo constituído de espaço para exposições e administração; o terceiro módulo composto de sala para cursos, estoque de matéria prima, oficina, solário, copa e sanitário e o quarto módulo um salão coberto para secagem e acabamento das peças produzidas;
  • Unificar os empreendimentos da atividade, de forma a fortalecer a categoria dando-lhes autosuficiência em todo o processo produtivo, desde o aprimoramento profissional, conscientização das metas e, autonomia administrativa com gestão própria dos meios de produção e comercialização;
  • Fazer a integração/concentração dos artesãos do município num mesmo local;
  • Incorporar ao processo associativo, através de suas entidades representativas, os artesãos que estão na informalidade.