Prefeitura divulga ações em prol da população de rua

A intenção é informar sobre a abordagem social

Quarta-Feira, 21/07/2021 | Superintendência de Comunicação .

A Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania / Secretaria Executiva de Assistência Social, promoveu nesta quarta-feira (21), uma ação na Praça Codrato de Vilhena (Praça do Papão) informando aos munícipes sobre os serviços oferecidos pelo município em prol das pessoas em situação de rua.

- Nosso objetivo é informar a sociedade sobre o serviço de abordagem que muitos desconhecem. Há busca ativa, identificação de territórios e de pessoas em risco pessoal e social, seja ela por violação dos seus direitos ou por uso abusivo de álcool e drogas. Estamos trabalhando muito para retirar essas pessoas das ruas, dando a elas dignidade – afirmou o secretário de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania.

Duas equipes trabalham diariamente, durante o dia e à noite, na abordagem à população em situação de rua. Há tanto a demanda espontânea com a equipe que faz a ronda, quanto o atendimento por meio do telefone (24) 99867-7560. Mensalmente são cerca de 430 abordagens, muitas delas feitas as mesmas pessoas, em momentos diferentes.

- É nossa intenção atender todo o município e inclusive, nesta semana, ainda iremos até à Vila do Abraão, em uma ação integrada com a Regional da Ilha Grande. Vamos ver quais são as demandas dessas pessoas para que possamos viabilizar o direito delas – informou a coordenadora técnica do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), equipamento que comanda as abordagens sociais.

As pessoas que decidem aceitar o apoio da Prefeitura são encaminhadas ao Centro de Atenção à População em Situação de Rua, no Bracuí, que tem capacidade para acolher até 25 pessoas. No momento, há 19 pessoas no espaço.

- Lá as pessoas têm cama, banho quente, cinco refeições por dia, passam por exames médicos, retiram novos documentos, participam de oficinas e recebem apoio psicológico. Todo esse trabalho é feito com muito carinho e tem a participação da Secretaria de Saúde – explicou o secretário de Desenvolvimento Social, adiantando que, em breve, será colocado em prática um projeto em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e empresas da cidade para empregar essas pessoas.

Embora tenha um espaço de acolhimento, são poucas as pessoas que aceitam sair das ruas e ir para lá. Cerca de 80% das pessoas abordadas são usuárias de álcool e drogas e no Centro de Atenção elas não encontram a liberdade que possuem nas ruas.

- Nossos profissionais precisam conquistar a confiança para que essas pessoas possam aceitar os serviços. Na maioria das vezes, temos negativa, mas não desistimos e sempre retornamos – frisou o secretário.

O morador de rua que decide retornar para sua família também conta com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social. Por meio do Creas, a pessoa recebe uma passagem de ônibus de retorno ao seu município de origem.

INFORMAÇÕES DE MARÇO DE 2020 ATÉ JUNHO DE 2021

- 328 pessoas em situação de rua foram abordadas

- 344 pessoas em situação de rua passaram por atendimento no Creas

- 334 pessoas foram encaminhadas para sua cidade de origem

- 40 pessoas foram encaminhadas ao Centro de Atenção à População de Rua