Boletim Epidemiológico – 14 de janeiro

Novo coronavírus

Sexta-Feira, 14/01/2022 | Secretaria Executiva de Comunicação .

De 01 de janeiro de 2020 até às 15h desta sexta-feira (14 de janeiro de 2022), o município de Angra dos Reis apresentou 91.695 casos notificados. No momento, há 19.765 casos confirmados de coronavírus – 9.704 pacientes testaram positivo em exames feitos pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen), com o apoio dos laboratórios da Unimed e do Hospital de Praia Brava, e 10.061 pelo teste rápido. Destes, 18.991 estão recuperados.

Há 567 mortes pela doença e três óbitos seguem em investigação. Revendo a base de óbitos do sistema do Ministério da Saúde de 2021 e, através de investigação Epidemiológica, mais duas mortes foram localizadas: a de uma mulher de 51 anos, ocorrida em 17 de novembro, No Hospital Municipal da Japuíba, e a de um homem de 83 anos, ocorrida em 05 de dezembro, no Hospital de Praia Brava. Os dois tinham comorbidades.

Ao todo 7.690 casos foram descartados – exame de swab negativo para Covid-19 – e 64.240 permanecem suspeitos (síndromes gripais), sendo 1.038 em isolamento domiciliar e 63.202 já recuperados. Entendem-se como casos recuperados aqueles que cumpriram o período de isolamento domiciliar e estão sem sintomas, conforme acompanhamento da equipe de monitoramento da Secretaria de Saúde.

No total, entre pacientes confirmados ou com suspeita de coronavírus, 12 pessoas estão internadas. O Centro de Referência Covid-19 (Santa Casa) atende a quatro pacientes. O Hospital de Praia Brava está com sete de seus 15 leitos ocupados.

Dos 37 leitos públicos do município, 11 estão ocupados, o que representa uma taxa de ocupação hospitalar pelo SUS de 29,73%. Dos 11 pacientes internados nos leitos públicos de Angra dos Reis, há um de Paraty. A Unimed, no momento, está com um de seus 12 leitos ocupado.

Entre os indígenas do município, há 219 casos confirmados. Destes, 214 já estão recuperados, e uma morte foi ocasionada pela doença. Há três casos suspeitos no momento.

O uso de máscara continua obrigatório nos espaços abertos ao público, ou de uso coletivo, inclusive os comerciais. As demais medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde, como a higienização das mãos, a etiqueta respiratória e o distanciamento social, também devem ser seguidas.