Escolas de Angra têm rodas de conversa pelo Setembro Amarelo

O mês é destinado à prevenção ao suicídio, sendo referência como a maior campanha antiestigma do mundo

Quarta-Feira, 07/09/2022 | Secretaria Executiva de Comunicação .

Ao longo desse mês, uma programação com atividades de prevenção ao suicídio está sendo realizada pela Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria de Educação, Juventude e Inovação, para abordar o assunto com os alunos da rede pública municipal de ensino e profissionais que atuam nas escolas.
A Campanha Setembro Amarelo® é organizada no Brasil desde 2014 pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM). Especificamente, 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Em 2022, o lema é “A vida é a melhor escolha”.
A Secretaria de Educação desenvolveu um cronograma com a divulgação de conteúdo em diferentes formatos: cards, planfletos, cartazes, além da disponibilização de curso on-line, vídeos e e-books sobre os fatores de proteção e prevenção contra o suicídio. Já as rodas de conversa com os estudantes, sob a coordenação de profissionais da Prefeitura, estão sendo promovidas nas escolas que mais identificaram alunos com maiores riscos ao suicídio, desde o Parque Mambucaba, passando pela Japuíba, Centro e Monsuaba.
Uma das rodas de conversa que estão sendo realizadas foi com os alunos da escola Municipal Maria Tereza Garcia, na manhã de terça-feira (6). Cerca de 60 alunos, adolescentes que participaram de forma espontânea da atividade proposta pela escola, estiveram reunidos com psicólogos que atuam nas Secretaria de Educação e de Saúde. Foi uma roda de conversa que objetivou chamar a atenção dos alunos para a prevenção ao suicídio e incentivá-los ao conhecimento dos canais de auxílio em caso de sinais de sofrimento mental. Além do bate-papo, houve uma dinâmica, e uma cartilha foi entregue aos participantes.
- Esse momento é fundamental dentro das escolas, pois é aqui que os adolescentes expõem seus sentimentos. É muito importante trazer esse assunto de prevenção ao suicídio cada vez mais para o ambiente escolar, e o Setembro Amarelo vem contribuir para isso – disse Luigi Bruno, diretor da escola.
Participaram da roda de conversas as representantes do projeto Setembro Amarelo da Secretaria de Educação, Juventude e Inovação, Izabela Munhe (coordenadora da Unidade de Referência para Atendimento Educacional Especializado Profa. Valéria S. Rodrigues); a psicóloga Nilcéia Galindo Teixeira (responsável pela elaboração da cartilha Estudantes & Escola, uma parceria para a valorização da vida), além dos psicólogos André Dehoul (EMES/EMDV) e Carla Veloso Carneiro (Cem Parque Mambucaba e ESF Bracuí).
Nilcéia explicou que o objetivo é falar ao máximo sobre o assunto para conscientizar os jovens sobre a valorização da vida, sendo o ambiente escolar muito apropriado para isso.
- É na escola que temos que promover a valorização da vida, prevenindo os fatores de risco e fatores de proteção. Nosso objetivo é alcançar os nossos estudantes de forma simples, facilitando o acesso à informação sobre o sofrimento psíquico e com isso prevenindo o suicídio – explicou a psicóloga.
Como encerramento da programação em Angra, será realizada uma grande mesa-redonda reunindo os gestores das escolas municipais no dia 21 de setembro para que o assunto seja desenvolvido no ambiente escolar ao longo do ano.
O suicídio é uma realidade que atinge o mundo e gera grandes prejuízos à sociedade. De acordo com a última pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2019, são registrados mais de 700 mil suicídios em todo o mundo, sem contar com os episódios subnotificados, pois com isso, estima-se mais de 1 milhão de casos. No Brasil, os registros se aproximam de 14 mil casos por ano, ou seja, em média 38 pessoas cometem suicídio por dia.

Entre os jovens de 15 a 29 anos, o suicídio foi a quarta causa de morte depois de acidentes no trânsito, tuberculose e violência interpessoal. Trata-se de um fenômeno complexo, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, sexos, culturas, classes sociais e idades.

Existem diversos materiais de uso público, como a Cartilha Suicídio Informando para Prevenir. Também se pode obter auxílio pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) ligando 188. Em Angra, em caso de emergência, ligue SAMU: 192; e para orientações, ligue CAPSI: 3365-5647. A qualquer sinal de sofrimento mental, procure o posto de saúde mais próximo de casa e solicite atendimento.