Horta cultivada por alunos produz alimentos para a merenda

Projeto da Escola Francisco Pereira Rocha ensina a prática do plantio e estimula uma alimentação mais saudável nas salas de aula

Quinta-Feira, 27/10/2022 | Secretaria Executiva de Comunicação .

Semear, cuidar, colher: o processo conhecido por todos os agricultores agora faz parte da rotina da Escola Municipal Francisco Pereira Rocha, no Morro da Cruz. Nessa quarta-feira, 26 de outubro, a primeira colheita da horta da agricultura infantil da unidade reuniu a comunidade escolar, moradores do bairro e representantes da Prefeitura. Mas eram eles, os pequenos agricultores, os mais empolgados com os resultados.

– Aprendi que temos que cuidar da horta para que as plantas cresçam e depois consigamos colher nossos alimentos para a merenda. E comer verdura é importante para sermos saudáveis. Adorei regar a horta todos os dias – explica Sara de Souza, estudante do 5º ano B. Do alto dos seus 11 anos, a menina conta com autoridade de especialista o que aprendeu nos últimos meses.

CONTATO DIÁRIO COM A TERRA

Na horta, as crianças estão desenvolvendo o conhecimento sobre a agricultura familiar, o respeito ao meio ambiente e alimentação saudável. Diariamente, cada turma fiscaliza seu canteiro de plantios e segue a rotina de regar as plantas, afofar a terra e tirar as sujeiras.

– Um projeto de horta e alimentação saudáveis possibilita que crianças conheçam verduras e legumes que normalmente não consumiam em casa. A possibilidade de verem outras crianças comendo e participando do plantio, junto à orientação das professoras, as estimula a experimentarem esses alimentos. A horta é muito importante para uma vida mais saudável e para uma maior socialização entre os alunos. É um projeto coletivo que envolve toda a comunidade – comentou Maria Verônica Ferreira, superintendente de Educação.

PROVANDO NOVOS SABORES

Após o primeiro plantio feito nessa quarta-feira, os alunos irão plantar novas mudas ainda essa semana. Dentre as verduras e legumes que estão sendo plantadas na horta, estão: abobrinha, beterraba, salsa, cebolinha, coentro, alface verde e roxa e chuchu. Toda as colheitas feitas serão aproveitadas para serem adicionadas ao cardápio da merenda da escola.

– A partir do cuidar da horta, as crianças mudaram de atitude. O contato diário com a natureza e a descoberta do desenvolvimento da vida estão as humanizando mais, principalmente nesse período pós-pandemia. Elas estão ousando experimentar novos sabores. Estamos plantando essa semente para que no futuro eles tenham uma alimentação mais saudável. É muita felicidade transformar esse sonho em realidade. É muito bacana ouvir de cada pai que o filho pediu para comer uma verdura que foi plantada aqui na horta – comentou Sílvia Almeida, diretora da unidade.

CRIATIVIDADE E TECNOLOGIA

Há também os trabalhos mais criativos, como poemas da Dona Beterraba, receitas de sucos verdes, miniaturas feitas em massinha de diversos alimentos expostos em uma mesa, desenhos da horta da escola no futuro e ilustrações que mostram as etapas da “magia do crescimento”.

– Está sendo muito interessante essa experiência. Todos os alunos estão comentando muito sobre como estão gostando de mexer com a terra e plantar as mudinhas. Alguns amigos não gostavam de comer verduras e estão começando a experimentar muitas coisas que estamos plantando aqui. Estamos utilizando o aplicativo Horta em Casa nos nossos tablets para nos informarmos sobre os períodos de colheitas ideais. Está nos ajudando bastante – informou João Almeida, 10 anos, estudante do 5º ano A.

A escola também reservou espaços para as cartolinas mais técnicas feitas pelos alunos, que são aquelas que informam sobre os espaçamentos ideais para o plantio, as práticas de irrigação, os climas adequados para cada planta, a luminosidade e as periodicidades da colheita e as receitas de inseticidas naturais para plantas.

– É muito bom plantar as verduras, porque ajuda o nosso meio ambiente. O que eu aprendi aqui, eu já ensinei para os meus pais. Estou com um pé de morango em casa que estamos plantando juntos agora – relatou Isis de Oliveira, 10 anos, estudante do 5º ano B.

POSSIBILIDADE DE EXPANSÃO DO PROJETO

O secretário-executivo de Agricultura, Aquicultura e Pesca, Wagner Junqueira, comentou sobre as perspectivas da implantação do projeto em outras escolas e creches futuramente. Segundo ele, a secretaria está de portas abertas para todos os interessados em desenvolverem o projeto.

– Nosso objetivo é que esse projeto se multiplique. Peço que cada diretora ou diretor que tiver interesse em desenvolver em sua escola uma horta da agricultura infantil, procurar a Secretaria de Agricultura – explicou o secretário.

HOMENAGEM AO IDEALIZADOR

Sem uma figura importante do bairro do Morro da Cruz, nada disso seria possível. O senhor Tarcísio Reis, ex-presidente da associação de moradores da comunidade e ex-vereador da cidade, foi figura fundamental para o desenvolvimento do projeto. Graças à ajuda dele, a primeira semente do projeto de hortas da agricultura infantil em escolas do município foi plantada.

– É importante lembrar que esse projeto leva o nome de Tarcisio Reis, uma pessoa que contribuiu muito para a agricultura da cidade e que foi o grande incentivador dessa iniciativa. Eu acredito que ele esteja vivo aqui nessa horta conosco todos os dias, podendo assistir de perto o quão bom foi sonhar isso conosco. Porque sonho que se sonha junto, se torna realidade – finalizou Sílvia Almeida.

O projeto é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Educação, Juventude e Inovação e a Secretaria Executiva de Agricultura, Aquicultura e Pesca. Agora, a expectativa é de que a iniciativa possa ser expandida para outras unidades da rede municipal de ensino.